O dia chegou! E agora?

Um tracinho para baixo, um para o lado e depois para cima. Fazes uma tenda e um escadote.

O dia chegou e fiquei surpreendida, confesso.
Estávamos no carro de volta a casa, depois de termos ido brincar e jantar com uns amigos. Era eu e ele, de noite na estrada.  Muitas vezes não entendo certas palavras e ele fica super frustrado. É pior quando vou a conduzir, focada na estrada e nos outros carros. Quando ele me disse aquela frase, pensei não ter percebido.

N.: “Mãe, quero aprender as “letas”
Eu: “O quê? Será que percebi bem, queres aprender as letras?”
N.: “Sim”
Eu: …….
Eu: “Queres aprender as letras para quê?”
N.: “Para assinar os trabalhos!-  passado um tempo de silêncio  “para escrever carro e flôr”.
Eu: “Posso ensinar-te a escreveres o teu nome, o que achas?”
N.: “Simmmmmm..”
Eu: “Ok, então a mãe vai mostrar-te como se escreve o teu nome quando chegarmos a casa.”

E é isto. Eu que acho que devemos deixar esta aprendizagem ser feita de forma lúdica na escola e que tenho tantas teorias…lá fui ajudá-lo a escrever o nome. Eu que acho que pode aprender estas coisas um pouco mais tarde…lá fui aos 3 anos dizer é um tracinho para cima, um para o lado e para baixo…fazes uma tenda e um escadote…

E agora? Compro umas letras para ele ir brincando ou deixo-me disso? (há umas de inspiração Montessori que adoro, deviam haver em todas as escolas)
Vou atrás dele e se continuar a pedir mostro-lhe ou deixo isso para a escola?
Faço uns tabuleiros de areia ou arroz para ele desenhar letras ou faço-me desentendida?
Sugestões? Que não sejam fichas, livros com letras e afins…não concordo com essas estratégias.

________________________________________________________________________________

Autor: Juliana  Barroso

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.